domingo, 13 de julho de 2008

Diário 13/7


Cansei desse meio-termo, sabe? Por tantas vezes quis e fiz, me enjoei, abri mão... E creio que hoje, me acomodei, ou por covardia, fingia que nada acontecia. E neste exato momento estou tentando realmente saber o que é melhor pra mim, o que é melhor pra nós. No entanto, o vazio, o medo de perder, a vontade de não ter... Me cegam!
Confesso que sempre achei você a melhor companhia naquelas noites frias. Sua voz e seu calor eram como refúgio, me acalmavam. Confesso que sempre achei você a melhor companhia da minha carência momentânea, da minha falta de lazer, da minha falta de paixão, quando tudo aquilo que eu precisava eram dos SEUS beijos. De sexo.
E confesso mais uma vez, que quando quis ser correspondida, você não teve a atitude digna de um homem, a qual eu esperava. É sim, agi como uma criança que perdeu seu melhor brinquedo. Brinquedo. Tai a palavra certa que me ajudou a classificar você em minha vida. Eu não queria o seu amor, a sua atenção. Eu queria você para a MINHA atenção. Posse.
As decepções criaram um poço de AMADURECIMENTO. Eu me ajudei, e sem querer, te ajudei também. Soubemos lidar melhor com as estranhas vontades que possuíamos um com relação ao outro. Moldei-me com mais segurança na hora de enfrentar você. Muita coisa mudou em mim, e pouca coisa mudou em nós.
Sinceramente, eu não o desejo como futuro. Minhas idéias não cabem nas suas. Estamos seguindo ideais de vida e emoções muito diferentes. Eu o quero feliz, muito feliz. Mas você sendo você e não fazendo parte de mim. Afinal, sei bem o que quero, e vou até o fim para conquistar. Ao certo, você saiu da minha listinha de desejos... O que me intriga, o que me tira o sono é saber onde encontrar esse outro alguém que tanto idealizo em minha vida e dizer um ‘BASTA’ definitivo a você.

Sei que você não merecia esse texto. Mas não há nada melhor do que um texto para definir um ponto e final e começar uma nova etapa!
Sem mais por hoje.


P.S Milena, se ler esse post, vou querer um dos seus conselhos!

Um comentário:

Milena disse...

"Sempre é preciso reconhecer quando uma etapa chega ao final.Se insistirmos em permancer nelas, perdemos a alegria e o sentido das outras que precisamos viver..."
- Saber onde se quer chegar é bem mais importante do que a rapidez com que se vai, e isso vc sabe!!
Nem sempre as pessoas precisam saber realmente o que as define em nossas vidas,nem se realmente precisamos, ou para que precisamos. Tem horas que eu prefiro ñ ter conciência,e impulsionar cabeça e coração na mesma sintonia, pra ñ me machucar. Enquanto á "ele" ngm está onde verdadeiramente ñ que estar, rs. Ninguem obriga ngm á nada, e assim a gente percebe que um profundo e verdadeiro desejo de que o outro seja feliz perto ou longe, vale mt mais que horas de permanencia,seja por necessidade fisica ou emocional! Relaxa Eve, rs... o mundo é todo seu !